segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Um novo projeto de leitura e a predominância dos livros estadunidenses e europeus

Desde que descobri os livros do Harry Potter, passei a comprar livros, isso com meus 12 anos. Tenho livros diversos, de Jorge Amado a Ágatha Cristhie, de Umberto Eco a Tess Gerritsen, além dos livros da minha área de atuação (História). Mas um fato começou a me incomodar em minha estante: a predominância de autores dos EUA e da Europa (ou melhor, não a Europa como um todo, mais especificamente autoras e autores britânicos, já que desconheço livros do leste europeu, por exemplo, e tenho poucos livros de países europeus com língua latina). É fato que a oferta de best-sellers traduzidos de língua inglesa dominam as principais prateleiras das livrarias, as estantes dos internacionais e as principais promoções dos sites de compra.

O Mundo em Palavras


Percebi o quão passiva eu fui nas minhas compras e escolhas de leitura, me deixando levar pelas superpromoções e pelas lindas estantes, ou pelo lançamento da moda, e não me questionei sobre as compras que estava realizando. Por favor, não estou dizendo que é ruim comprar e ler livros como da J. K. Rowlling, do Neil Gaiman, do George “assassino de personagens” Martin, amo todos, e vou continuar comprando e lendo, mas o problema é SÓ ler autores do eixo EUA-Grã-Bretanha. Nascer e crescer imerso em determinada cultura permite ao autor ter determinadas experiências (que serão trabalhadas de alguma forma no exercício da escrita, que posteriormente teremos acesso), que uma outra pessoa oriunda de uma cultura diversa não experimentaria. E estamos abrindo mão dessa pluralidade de escrita quando não saímos da nossa zona de conforto literária.

Reduzir seu universo literário a dois países, a duas culturas (que tem vários pontos em comum), é empobrecer suas possibilidades de descobertas, é limitar sua visão de mundo, além de ajudar na manutenção da predominância desses dois países nas traduções publicadas no Brasil. Imagine quantos livros incríveis estamos perdendo, pelo simples fato dele não ser publicado no Brasil?

Se nossa procura por livros internacionais começar a expandir para outros países, talvez as editoras percebam a necessidade de diversificar mais suas traduções. Posso estar sendo otimista demais, utópica, mas acredito que algumas editoras (só algumas) tenham sensibilidade suficiente para perceber a mudança de demanda do público consumidor e busque se adequar a ela.


Pensando a respeito dessa questão encontrei no blog Viaggiando o projeto “Viagem ao Mundo em 198 livros”. Achei a ideia incrível! Mas acompanhando melhor a postagem, percebi que muitos dos livros que a Camila leu eram em inglês, por não existir tradução para o Brasil. Por ler muito mal em inglês, desisti dessa ideia, mas estou confabulando um outro projeto, não vai ser tão amplo quanto o da Camila, nem ter tantos livros, mas vai ser uma forma de romper com minha zona de conforto e de me aventurar por novos mundos imaginários. Nesse projeto de leitura vou focar nos continentes, tentando ler três ou quatro livros de cada continente, mas de países diferentes, que tenham sido publicados no Brasil, e quero começar pela África, continente com uma imagem ainda tão estigmatizada e deturpada. Vou começar a pesquisar os livros, mas não tenho data para terminar de ler: não é um desafio, é um projeto de leitura, uma forma de modificar alguns hábitos, expandir meu horizonte literário, me proporcionar novas experiências, mas sem a rigidez de prazos e metas. 

Qual autora/autor você me sugere? Quer experimentar esse projeto comigo? =)


11 comentários:

  1. Olá Fran
    Primeiro, parabéns pela iniciativa. Depois de ler seu post fui conferir minha estante e adivinha... A maioria dos livros que tenho são destes dois países. Vou acompanhar seu progresso e aproveitar as dicas de livros que forem aparecendo.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo!
      A gente realmente não se dá conta que está sempre comprando livros oriundos das mesmas culturas sempre. Essa minha percepção é recente também, mas resolvi tentar algo para mudar isso! E vai ser um prazer ter a sua companhia acompanhando minhas leituras. =)

      Volte sempre!

      Fran

      Excluir
  2. A História Sem Fim é obra de um alemão. (tô sugerindo mas nem sei se já foi lido... rs)

    O Sonho da Sultana é de Bangladesh.

    Vou até ver os títulos, fiquei curiosa. =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anotando agora as sugestões!!! Nem imaginei que entraria para minha lista um livro de Bangladesh.
      Descobri a pouco tempo que "A História Sem Fim" era baseado em um livro, sempre achei que era só um roteiro muito maneiro de um dos meus filmes de sessão da tarde favoritos =P

      Volte mais vezes, sinta-se em casa!

      Fran

      Excluir
  3. Realmente a gente quase só lê livros americanos e engraçado que estamos na América Latina com vários países fazendo fronteira e as pessoas pouco conhecem os autores que estão do lado de lá! Enfim, quando chegar nos países Latino americanos procure pelo realismo fantástico, acho que vc vai gostar! XD

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michele!
      Nossa, nós temos tão pouco contato com a América Latina né? Parece quase um outro continente, como se o Brasil não fizesse parte. Desconhecemos quase tudo que é produzido culturalmente nos outros países da latinoamericanos, não vemos seus filmes nos cinemas, são poucos os livros nas livrarias, quase não escutamos suas músicas. O único que eu já li (que eu me lembre) foi Gabriel Garcia Marques, com o "Cem Anos de Solidão", que foi uma leitura tensa, densa e incrível, uma experiência ímpar! Tenho dele também "Crônica de uma morte anunciada" mas ainda não li.

      Volte sempre Michele!

      Fran

      Excluir
  4. Esse tipo de desafio, eu topo "Só se for AGORA!".

    Eu me tornei muito fã de literatura africana em língua Portuguesa, amo Pepetela e Mia Couto <3 Adorei ter conhecido a australiana Trudi Canavan e tenho "O sonho da Sultana" no kobo e acabei de ler "As aventuras de Sindbad, o terrestre" anonimo até a alma.

    Enfim, eu amo ler junto, comentando com outras pessoas, e abraço com os dois braços e as pernas esse projeto! Bora Fran. Quero ler mais literatura portuguesa, literatura sul-americana, literatura egípcia, algo da China, antiga ou atual, adorei ler uma autora cubana, a América latina tem uma verve tão parecida com a nossa, quero ler autores russos <3 201 pode ser um ano para conhecer o mundo através da literatura, abrir ainda mais os horizontes!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então bora viajar juntas num mundo de livros e narrativas!!! Vou adorar ter a sua companhia nessa aventura! Tem tanto livro no mundo pra gente conhecer!!! E é tão instigante expandir nossos horizontes!
      Venha!

      Fran

      Excluir
  5. Olá

    Cheguei até aqui através da indicação de amigos comuns e já estou seguindo seu blog.

    E se você acredita no amor nesta sociedade dos desencontros ,se exercita sempre no abraço fraterno e nas mãos dadas que transcendem,enaltecem, valorizam e encantam a vida de cada um de nós,convido a participar de dois meus blogues cujo temática é essa única forma de nos mantermos de pé e apostar que a vida é diferente para quem ama.

    Confira: e ficaria honrado com sua presença:

    FALANDO SÉRIO.
    http://ptamburro.blogspot.com.br/

    FRAGMENTOS DO ACASO
    http://paulotamburrosexo.blogspot.com.br

    E como ninguém é de ferro venha ser o seguidor número 2 336 do nosso blog de humor, sem baixarias ou palavras obscenas.

    HUMOR EM TEXTOS
    http://paulotamburro.blogspot.com.br/

    Neste último blog você saberá sobre as mentiras que tornaram nossa sociedade muito pior!


    Um abração carioca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo! Bem Vindo a Coruja de Quinta!
      Espero que você goste do nosso cantinho. Fiquei curiosa em saber quem são nossos amigos em comum =)

      Abraços!
      Fran

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...